sexta-feira, 26 de março de 2010

segunda-feira, 8 de março de 2010

BRASIL - Envelope Circulado - 50º Aniv. do 1º Voo do Mais Pesado que o Ar.

Envelope com carimbo comemorativo "CINQUENTENÁRIO DO 1º VOO DO MAIS PESADO QUE O AR - 1906/1956".
Obs .: Porte incorreto, Cr$ 3,00, o certo seria Cr$ 1,00, até 50 gramas para carta IMPRESSOS, valor excedente Cr$ 2,00.

BRASIL - 50º Aniv. do 1º Voo do Mais Pesado que o Ar - 1956 - Emenda de Bobina.

O par de selo visto por trás.
Obs 1 .: Par com EMENDA DE BOBINA.
Obs 2 .: Denominação de uma variedade produzida pela emenda da bobina do papel, quando da impressão do selo.

BRASIL - 50º Aniv. do 1º Voo do Mais Pesado que o Ar - 1956 - Marmorizado Quadra.



Obs .: Duas quadras em papel MARMORIZADO.

BRASIL - 50º Aniv. do 1º Voo do Mais Pesado que o Ar - 1956 - Marmorizado.


Obs .: Selo em papel MARMORIZADO. Fecho de série.

BRASIL - 50º Aniv. do 1º Voo do Mais Pesado que o Ar - 1956.

Data de emissão, 16/10/1956.
Denteação, 12
Tiragem, 10.000.000
Folha, 50 selos.
Impressão, rotogravura.
Filigrana, Correio Brasil, (Q).

BRASIL - 50º Aniv. do 1º Voo do Mais Pesado que o Ar - 1956.

Obs 1 .: Bloco com carimbo comemorativo "EXPOSIÇÃO FILATÉLICA ANO SANTOS-DUMONT" - RIO DE JANEIRO 14 a 23 - OUT - 1956.
Obs 2 .: Filigrana, Correio Brasil, (Q).

sábado, 6 de março de 2010

BRASIL - 50º Aniv. do 1º Voo do Mais Pesado que o Ar - 1956 - Marmorizado.

O bloco visto pelo verso, repare as linhas do papel MARMORIZADO.

FILIGRANA CORREIO BRASIL (Q)

Data de emissão, 14/10/1956.
Denteação, 12
Tiragem, 500.000
Impressão, rotogravura.
Filigrana, Correio Brasil, (Q).
Obs .: O bloco acima não tem filigrana.

Para definir o que é papel marmorizado, vamos reproduzir parte de um artigo publicado no Informativo Fontoura Wieth de agosto de 1990 e escrito pelo saudoso jornalista filatélico J. L. de Barros Pimentel: "Não se trata de papel diferente, nem de filigrana curiosa, mas tão somente de defeito de fabricação do papel. Em visita que fizemos recentemente às Indústrias Klabin, na Capital, por deferência especial do diretor da firma, Sr. J. Klabin (veterano numismata) e, acompanhado de um dos engenheiros da firma, tivemos oportunidade de verificar "in loco" a fabricação do referido papel, conhecido como gessado ou couché. O papel ainda em bobina, úmido, recebe em máquina especial o banho de substancia leitosa constituída de caolim e caseína (fixador). Após o banho, a folha de papel sofre o tratamento de uma série de escovas, as quais agindo num vai-vem constante espalham aquela substancia uniformemente. Quando, por acaso, essas escovas deixam de trabalhar alguns instantes, a substancia não é espalhada convenientemente e o papel sai então com aquele aspecto que congnominaram de "marmorizado".

Esse pedaço de bobina com papel marmorizado não tem lugar fixo, pode ser no início, no meio ou no fim da bobina e como a bobina é entregue à Casa da Moeda pelo fabricante, não é possível desenrola-la para verificar onde o papel ficou defeituoso. Tal papel é classificado no fábrica como "refugo". Cumpre a Casa da Moeda, após a emissão de qualquer selo impresso naquele papel, separar as folhas que tenham coincidido na parte defeituosa, incinerá-las e não colocá-las à venda com o restante da emissão, para depois aparecerem no mercado por preços altíssimos."

Na verdade é muito difícil para os funcionários dos Correios conseguir identificar uma ou mais folhas que se apresentam marmorizadas dentro de um pacote de folhas. Só o olhar atento de um filatelista seria capaz de separar as folhas que apresentassem a característica de "veios de mármore" que identifica esse papel.

Também o "defeito" pode aparecer em parte ou em toda a folha o que dificulta mais ainda a identificação.

Fonte : Clube Filatélico do Brasil.

http://www.clubefilatelicodobrasil.com.br/artigos/filatradicional/marmorizados.htm

BRASIL - 50º da Prova da Dirigibilidade - Deslocamento de Cor.

Obs .: Par com deslocamento da cor salmão para direita.

BRASIL - 50º da Prova da Dirigibilidade - CORPEIO.


Obs .: Selo com a variedade CORPEIO no lugar de CORREIO.

BRASIL - 50º da Prova da Dirigibilidade - 1951.

FILIGRANA CORREIO BRASIL LETRAS MENORES (Q)

Data de emissão, 19/10/1951.
Denteação, 11 x 12
Tiragem, 1.000.000
Folha, 72 selos.
Impressão, talho doce e offset.
Filigrana, selo 60 Cts (sem fil.) e selo Cr$ 3,80 (filigrana Correio Brasil - Q).
Desenho, Waldir Granado (selo 60 Cts) e Bernardino da Silva Lancetta (selo Cr$ 3,80).

BRASIL - Congresso Nacional de Aeronáutica (SP).


FILIGRANA ARMAS (K) Data de emissão, 15/04/1934.
Denteação, 12
Tiragem, 1.000.000
Folha, 60 selos.
Impressão, talho doce.
Papel, grosso.
Filigrana, armas, (L).
Obs .: Este selo também existe sem filigrana.

BRASIL - Sobretaxa Pró Aeroportos - Decalque.

DECALQUE
FILIGRANA CRUZEIRO (K) Data de emissão, 01/10/1933.
Denteação, 13,5 x 12,5
Tiragem, 68.077.500
Folha, 150 selos.
Impressão, tipografia.
Papel, médio e fino.
Filigrana, cruzeiro, (K).
Obs 1 .: Este selo também existe na denteação 11.
Obs 2 .: O decalque se dá quando uma folha é coloca sobre outra folha que ainda não está totalmente seca, devido a isto, é passado para goma da folha que está por cima.
Obs 3 .: Sobretaxa Pró Aeroportos, criado pelo Decreto 22.620 (05/05/1933) e usado obrigatoriamente (taxa adicional) de 01/10/1933 até 31/05/1934, passou a ser usado na franquia comum, (Ed. 19/05/1934), de 01/06/1934 a 31/08/1934.

sexta-feira, 5 de março de 2010

BRASIL - Monumento em St. Cloud - 1947.

Data de emissão, 15/11/1947.
Denteação, 11
Tiragem, 1.000.008
Folha, 72 selos.
Impressão, Tipografia.
Desenho, Bernardino da Silva Lancetta e O.P. Borges.
Obs .: Protesto pela devastação do monumento em St. Cloud (França) pelos alemães durante a guerra (1939-1945).

ESPANHA - União Iberoamericana - Com Erro.

Obs .: Marca escura no avião.

ESPANHA - União Iberoamericana - Com Erro.

Obs .: Marca escura na teste e sem o olho direito.

ESPANHA - União Iberoamericana - Sem Denteação.

Obs .: Par sem denteação.

ESPANHA - União Iberoamericana - 1930.

Data de emissão, 10/10/1930.
Obs 1 .: O selo é alusivo a Santos Dumont, entretanto, a aeronave retratada é na verdade o Flyer, dos irmãos Wright.
Obs 2 .: O 1º selo é mais largo.

BRASIL - Envelope Circulado - Carimbo Deptº S.Dumont - Minas Gerais.

Envelope da agência Deptº Santos Dumont, Minas Gerais, para Koeln, Alemanha, Via Aérea, postado em 06/10/1963.
Obs .: Porte correto, Cr$ 123,00, até 5 gramas, para países do 3º grupo.

BRASIL - Envelope Circulado - Cinquentenário do 1º Voo do 14 Bis.

Envelope da agência Rio Grande do Sul, para Santa Cruz do Sul, postado em 20/12/1962.
Obs .: Porte correto, Cr$ 8,00, até 20 gramas.

BRASIL - Envelope Circulado - Conquista da Dirigibilidade Aérea - Nº 6.

Envelope da agência 8ª 3ª, noite, SP, Brasil, para Herbststrasse 6, Alemanha, Via Aérea, postado em 14/12/1951.
Obs .: Porte correto, Cr$ 5,80, até 10 gramas, para países do 4º grupo.

BRASIL - Envelope Circulado - Desagravo a Santos Dumont.

Envelope da agência 3ª seção, manhã, SP, Brasil, para New York, EUA, Via Aérea, postado em 04/09/1948.
Obs 1 .: Porte correto, Cr$ 3,80, até 10 gramas, para países do 3º grupo.
Obs 2 .: O monumento em St. Cloud (França), foi devastado pelos alemães durante a guerra (1939-1945), este selo refere-se a um reparo (ofensa ou insulto).
Obs 3 .: O 1º selo do terno nas LINHAS DO ARCO encontram-se com manchas, abaixo da palavra correio.